Terça-feira, 22 de Abril de 2008

Tipos de Diabetes

            Existem 2 tipos de diabetes. A mais conhecida, e mais comum, é a diabetes Mellitus, sendo a outra a diabetes Insipidus. A diferença é que na diabetes Mellitus há glicosúria, ou seja, glicose na urina e na diabetes Insipidus não. As causas do seu aparecimento também diferem, como iremos verificar já em seguida.
Diabetes Mellitus
 
            A diabetes é uma doença crónica, que pertence ao grupo das doenças metabólicas*, e se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) – hiperglicemia – no sangue.
            Esta doença surge quando o organismo é incapaz de utilizar a nossa principal fonte de energia – a glicose, a qual provém da digestão do amido e dos açúcares ingeridos através da alimentação. Esta, depois de absorvida, entra na corrente sanguínea. Contudo, para que a glicose seja utilizada pelas nossas células como fonte de energia é necessária insulina.
 
Diabetes Mellitus tipo I(ou Diabetes Mellitus Insulinodependente)
 
            O termo insulinodependente já não é totalmente correcto actualmente. Isto porque pressupõe a total dependência á insulina, ou seja, esta não é produzida pelo corpo do doente, o que é errado. Pode não ser produzida, mas pode também produzir pequenas quantidades insignificantes.                                                                       
             É um tipo de diabetes típico na infância e na adolescência, mas pode também surgir em crianças e jovens. E caracteriza-se por um défice na produção de insulina, isto acontece porque o sistema imunitário do doente ataca as células betas do pâncreas, pois não as reconhece. A maioria das pessoas com diabetes tipo I desenvolve grandes quantidades de auto-anticorpos, que circulam na corrente sanguínea algum tempo antes da doença ser diagnosticada. Os anticorpos são proteínas geradas no organismo para destruir germes ou vírus. Auto-anticorpos são anticorpos com “mau comportamento”, ou seja, eles atacam os próprios tecidos do corpo de uma pessoa. Nos casos de diabetes tipo I, os auto-anticorpos podem atacar as células que a produzem. Este tipo de reacção também ocorre noutras doenças, como esclerose múltipla, Lúpus e doenças da tiróide.        A causa desta “confusão” do sistema imunitário ainda não foi definida, apesar de parecer estar associada a casos de constipações e outras doenças. Não é por isso consequência do tipo de alimentação, estilo de vida, etc. Como acontece na diabetes tipo II.                                                                                                                   
Sabe-se que há casos em que algumas pessoas nascem com genes que as predispõem à doença. Mas outras têm os mesmos genes e não têm diabetes. Pode ser algo próprio do organismo, ou uma causa externa, como por exemplo, uma perda emocional. Ou também alguma agressão por determinados tipos de vírus como o cocsaquie.                                                                                                                      
Quando o organismo deixa de produzir insulina (ou produz apenas uma quantidade muito pequena) o doente necessita de injecções diárias de insulinas para regularizar o metabolismo do açúcar. A quantidade é variável em função do tratamento escolhido pelo endocrinologista e também em função da quantidade de insulina produzida pelo pâncreas. A insulina sintética pode ser de acção lenta ou rápida: a de acção lenta á administrada ao acordar e ao dormir, a de acção rápida é indicada logo após grandes refeições.                                                                                                           
Para controlar este tipo de diabetes é necessário o equilíbrio de três factores: a insulina, a alimentação e o exercício.

 

 

Diabetes Mellitus tipo II(ou Diabetes Mellitus Insulinoindependente)
 
            O termo insulinoindependente também não é o mais correcto actualmente, pois o que acontece é uma diminuição da resposta dos receptores de glicose presentes no tecido periférico da insulina, levando ao fenómeno da resistência á insulina (insulinoresistência). As células beta do pâncreas aumentam a produção de insulina e, ao longo dos anos, a resistência á insulina acaba por levar as células beta á exaustão, a insulina acaba por ser insuficiente.
            A diabetes tipo II surge devido a hábitos de vida e de alimentação errados e por vezes ao stress. Frequentemente têm excesso de peso, sobretudo na zona abdominal, hipertensão arterial, colesterol e triglicerídeos elevados. Neste caso, o pâncreas produz insulina.                                                                                                                       
          Vários fármacos e outras causas podem, contudo, causar este tipo de diabetes. É muito frequente a diabetes tipo 2 associada ao uso prolongado de corticóides, frequentemente associada à hemocromatose não tratada.                                                           Sabe-se que o diabetes do tipo 2 possui um factor hereditário maior que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos.     
            O diabetes tipo 2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Outras vezes vai necessitar de medicamentos orais e, por fim, a combinação destes com a insulina.

 

 

Diabetes Mellitus gestacional
 
            Este tipo de diabetes desenvolve-se durante a gravidez e pode melhorar ou desaparecer após o nascimento da criança. Embora temporária pode trazer danos á saúde da mãe e/ou bebé, e cerca de 20 – 50 %  das mulheres que tiveram diabetes gestacional desenvolveram diabetes tipo 2 mais tardiamente na vida.
            Este tipo de diabetes também envolve uma combinação de secreção e resposta de insulina inadequados, assemelhando-se ás diabetes tipo 2 em vários pontos.
            Esta ocorre em cerca de 2% - 5% de todas as gravidezes. É temporária e tratável, mas se não tratada pode causar problemas com a gravidez, como por exemplo malformações fetais e doença cardíaca congénita. Podendo levar até á morte do feto.
Outros tipos
Outros tipos de diabetes <5% de todos os casos diagnosticados:
A: Defeito geético nas células beta
B: Reistência á insulina determinada geneticamente
C: Doença do pâncreas
D: Causada por defeitos hormonais
E: Causada por compostas químicos ou fármacos
F. Infecciosas (rubéola congénita, citamegalovírus e outros)
G:Formas incomuns de diabetes imuno-mediatas (sindrome do "homem rigido". anticorpos anti-insulina e outros)
H: Outras síndromes genéticas algumas vezes associadas com diabetes (sindrome de Down, síndrome de Klinefelter, sindrome de Turner, síndrome de Wolfram, ataxia de Friedreich, coréia de Huntington, sindrome de Laurence)
 
tags:

publicado por simply_misses às 10:24
link do post | comentar | favorito

.Este blog foi idealizado no âmbito do projecto "Doenças do séc. XXI", que estamos a desenvolver na área curricular Área de Projecto do 12º ano, da Escola Secundária de Fafe. Agradecemos desde já a colaboração de todos que tornaram este trabalho realidade.

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
26
27
28


.posts recentes

. Curas Alternativas

. ...

. Entrevista com a nutricio...

. Hipocolesterolémia

. Hipercolesterolémia

. Controle do Colesterol

. Controle dos Colesterol

. A que se deve o aumento d...

. Função do colesterol

. Colesterol

. Palestra com o Ortopedist...

. Apresentação do Filme "Aw...

. Stress

. Causas

. Os sintomas físicos

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

.IMC

Calculadora IMC
Peso: kgs
Altura: m cm
SAPO Blogs

.subscrever feeds